Ser mãe

Ser mãe

Selene Fagundes

A mulher vive cheia de obrigações. Os famosos “tem que”. “Tem que” ser bonita, magra, eficiente, e, antes de mais nada, tem que ser mãe e desdobrar-se fibra por fibra.

No momento e que18 a mulher questiona qualquer um desses mandamentos, é expulsa da sociedade “normal” e passa a ser um pária.

A maternidade é um destino biológico, que não pode ser questionado. Fomos feitas pra isso, e ponto. Mas ninguém pensa que entre ser uma mãe amarga, recalcada, e que desconta nos filhos, ou ser uma mulher sem filhos, mas que inspira, orienta e acolhe muita gente, a última opção pode ser a melhor.

Conhecemos muitas pessoas cuja vida foi totalmente destruída por uma infância infeliz, por um relacionamento doentio com a mãe. Mas nunca pensamos que essa mulher não teve opções, que foi simplesmente obrigada a ter filhos. Que ninguém perguntou se ela queria isso para ela mesma. Quantas mulheres queriam um destino bem diferente. Estudar, trabalhar, viajar, virar hippie, enfim. Sonhos diferentes daquela vida que lhes foi imposta.

Ter o direito de pensar a sua vida como uma construção própria é uma novidade. Criar seu próprio caminho, escolher sua vida é uma opção que eu espero que muitas meninas tenham, no futuro. A maternidade pode ser maravilhosa, mas não quando é uma obrigação.

Curtiu? Nos acompanhe do face.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *