Planos, metas e tudo mais

Planos, metas e tudo mais

Tu já parou pra pensar no quanto tu te cobra por achar que não está fazendo o suficiente? Que a tua vida está estagnada?

Já se pegou sofrendo porque não conseguiu cumprir as metas que tu estipulou pra essa ou aquela fase da vida?

Confesso que eu andava me sentindo muito acomodada, impaciente com a minha “falta de perspectiva” até que esses dias me vi segurando uma bandeira em uma atividade qualquer da campanha e me lembrei da eleição passada para esses mesmo cargos, em que, na maior parte do tempo, essa era a minha função.

Em 2014 eu cuidava das redes sociais e dos materiais gráficos de um candidato estadual. Acompanhava as agendas pra anotar contatos, entregar panfletos/colinhas, carregar a bandeira. Fotos eu fazia uma ou duas com o celular, só pras redes mesmo.

Eu me formei bem no meio daquela campanha… nos primeiros dias de agosto. Com a tranquilidade de estar empregada até janeiro, mas não tão realizada quanto eu gostaria.

Eu entrei na campanha quase por acidente, uma indicação pra um estágio que em menos de 6 meses virou trabalho formal e militante também.

Lembro claramente das dores nas costas por intercalar longas horas no computador com momentos “banderiando” pelas ruas da capital. Lembro de ficar imaginando se um dia conseguiria viver de fotografia, se teria a oportunidade de fotografar nomes importantes no cenário nacional…

Saí da equipe estadual, tive diversas experiências e quando me dei por conta estava no mandato federal.

Foram mais dois anos de aprendizado e muita correria que me levaram para a equipe de campanha, mas não…. a minha função não era mais anotar recados, os materiais gráficos também não eram mais responsabilidade minha e bandeiras… essas eu raramente chegava perto. Agora eu era única e exclusivamente fotógrafa.

Mas é claro, eu ignorei a parte de que me qualifiquei para esse trabalho, ficava pensando no quanto não estudei design, diagramação, ou qualquer coisa que melhorasse as minhas artes nesse meio tempo.

Foi na hora que um companheiro me pediu pra segurar a bandeira dele, enquanto mexia na mochila ou algo assim, que me caiu a ficha…

Fui de “faz tudo” de uma campanha estadual para “fotógrafa” de uma campanha federal. Fazia/faço parte da equipe de comunicação mais jovem que já trabalhou com essa deputada. Fotografei grandes nomes da política do estado, algumas vezes, cobri viagem de ex presidentes pelo Rio Grande do Sul, fiz muitas fotos do nosso candidato a governador e da vice, assim como registrei dois dos candidatos a presidência da república e a vice de um deles.

É, pensando bem, acho que não dá pra dizer que estagnei… E tu?

Bora rever quais eram os planos e conferir se eles ainda fazem sentido pra ti? Se no fundo tu já não realizou eles sem se dar conta ou se não acabou fazendo algo que te trouxe mais realização do que se tivesse seguido os planos?

 

AuthorJúlia Flôres

Sou fotógrafa, publicitária, assessora de comunicação e "responsável técnica" por esse espaço! Descobri o movimento social em 2 mil e poucos... desde então acompanho muitas lutas, que de certa forma me mostraram a importância de cada batalha em defesa dos direitos humanos.

2 replies to Planos, metas e tudo mais

  1. Muito bem, me fez pensar nos meus últimos seis anos. Realmente é preciso avaliar não apenas o imediato, mas um determinado período de tempo para termos um vislumbre de evolução ou estagnação. Muito bons teus textos, Julia.

    • Valeu, queridão!
      O retorno de cada um de vocês me motiva a seguir escrevendo 😘

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *