Faça o que eu digo, não faça o que eu faço

Reconheça seus privilégios… cada um deles… nem que tenha que inventar alguns para reconhecer.  Afinal, não importa como está a tua vida… tu certamente és uma privilegiada. E parte desse privilégio é não estar no meu lugar de mulher branca,

Elas… as Fulanas, Beltranas e tal…

Na nossa realidade de filhas/os de famílias financeiramente estáveis, estudantes de colégio particular, moradoras/es da capital do estado… nós éramos muito parecidos, tivemos criações que incentivavam o convívio, o respeito e o cuidado com o próximo. De “diferente” entre nós?

“E tu, pretende ter filhos?”

Pergunta o moço. “Depende… mas por hora não tenho parceria o suficiente pra isso…” Foi assim que a conversa sobre as nossas expectativas quanto filhos, família, trabalho, vida terminou naquele dia… Descobri a sensação maravilhosa de “apresentar o mundo” pra