Doença, doença, doença

Existe algo de muito errado na nossa sociedade. O número de estupros aumenta cada vez mais. Cada homem é, no mínimo, filho de uma mulher. Pode também ser irmão de uma, ou várias. Pai de outras. Marido de algumas. Foi

Maju e o surto da Casa Grande

Precisou meio século para que o principal telejornal do país tivesse, enfim, a sua primeira âncora negra. Mesmo ainda não sendo a “titular”, Maria Júlia Coutinho, a Maju, foi promovida mês passado para a bancada do Jornal Nacional. Ela que

A única certeza é a mudança

Corremos para vencer metas, completamos álbuns e esquecemos de observarmos a inconstância da vida, a essência humana.

A potência de não pertencer

Quem te inspira a continuar lutando? Não no sentido mais extraordinário da palavra, de enfrentar adversários. Lutar no sentido de viver mesmo. De manter as contas em dia, o ânimo com o emprego, os filhos bem vestidos, a casa organizada

Ela sabe se cuidar…

Ela aprendeu a se cuidar… O comprimento da saia A maquiagem “não provocativa” Os estudos sempre em dia A quantidade de bebida As amigas “de boa família” O tamanho do decote Sim… eventualmente ouvia cantadas na rua. Terminou com o

Entre pães e berrantes

Qualquer grupo ou pessoa que oferecer receitas precisas viraliza, ganha muito dinheiro e poder. Numa sociedade carente de guias, receitas precisas ganham notoriedade, não importa quanto desastrosas sejam.

Por uma vida mais autêntica

A vida, no entanto, não segue scripts. Nem nossos desejos e sonhos, por mais que tentemos encaixá-los num sistema pré-moldado. Não somos robôs. Existe algo da experiência humana que escapa da lógica do mercado de consumo.

Onde foi parar o arco-íris??

Já contei aqui no blog sobre a dificuldade que era de convencer as pessoas de que eu era guria e hétero, mesmo que em certos períodos eu gostasse de roupas cor de rosa…. Acho que foi um pouco por isso

Empatia: a palavra de 2019

Dias desses um amigo perguntou nas redes se empatia era um ato de egoísmo e se realmente é possível ter empatia fugindo de padrões que ditam o que é digno desse sentimento. Não é estranho o questionamento, pois está aí

Vergonha

Vendo as notícias nos jornais, na TV e na Internet, parece que as pessoas perderam a vergonha de manifestar os sentimentos errados. A ignorância está sendo mais valorizada que a sabedoria, o ódio mais do que a empatia, os preconceitos